Deixe um comentário

DUNGUICES

Adriano me causou muita revolta nestes primeiros meses do ano. Comentei que antevia sua não convocação, principalmente no domingo do jogo com o São Paulo, quando o dr. Runco – da seleção – desmentiu que houvesse qualquer tipo de problema que impedisse o atacante de treinar ou jogar. No surprise com a ausência do nome o Imperador na lista de Dunga, e sim uma enorme preocupação: essa notícia, embora esperada, foi a pior possível para o Flamengo, muito mais que para o Adriano. A exclusão de Maldonado da seleção chilena só aumentou essa preocupação. Ainda mais porque o chileno se esforçou tudo que podia para estar novamente na lista, depois da séria contusão que sofreu. O carinho do Flamengo para com o Maldonado deveria ser uma compensação para um cara extremamente profissional e dedicado. Mas Maldonado vai ficar no Flamengo? É um mistério. E uma grande preocupação, como disse o Vinícius no POST anterior.
Mas voltando à convocação, duas considerações independentes:
1) Era esperado? Era. Adriano colheu o que plantou? Com certeza. Mas alguém tem dúvida que, se a convocação fosse em dezembro do ano passado ou mesmo em janeiro deste ano, ele estaria na lista? Eu não tenho. Afinal o cara foi um dos dois ou três principais responsáveis pelo Hexa, a mais inesperada e surpreendente conquista de um CB, para os que não são Flamengo, claro. E ainda foi artilheiro do torneio. Era barbada. Aí, a nova direção assumiu. E a bagaça desandou. Culpa do Adriano? Muita, muitíssima. Mas faltou comando ao clube. Faltou liderança, direcionamento, foco, comprometimento do futebol do Flamengo com vários projetos, um deles sendo ter seus quatro ou cinco jogadores selecionáveis, convocados. Incluo aí o Love. Essa bagunça que acabou levando o Andrade para o abismo, que transformou o Braz de um VP razoável num ímã, a atrair crises e problemas, é o resultado de um conjunto de inações. Faltou presidente, vice, diretor, gerente e, querem saber, até o Gilmar Rinaldi tem sua parcela ( e grande ) de culpa nisso. Resta saber se Adriano tem recuperação, se tem futuro, se quer mais alguma coisa no Flamengo. Se vai sobreviver a esse nocaute. E se vai continuar a produzir com algum diferencial. Ele tem 28 anos. Com 32, se se comprometesse pessoalmente com um objetivo, ainda teria condições de disputar a Copa no Brasil. E, talvez, calar a boca de Dungas, Jorginhos, Ricardos Teixeiras e um monte de jornalistas esportivos que entraram e êxtase com a sua exclusão. Eu, humilde blogueiro, tinha quase certeza de que ele não ia. E não me alegrei nem um segundo com isso, pelo contrário. Acho triste para ele, para o Flamengo e para mim, pessoalmente.
2) A convocação de Grafite – Para mim, não faz nenhum sentido. No meu entender não combina com o discurso do Dunga e do Jorginho, de grupo comprometido, de quem mostrou espírito de equipe e “patriotismo” ( essa é dura de engolir, me desculpem os que concordam com isso ). Grafite não é exemplo de nenhuma dessas “qualidades. É um cara que, por acaso, se encontra num momento especialmente bom num time inexpressivo, e esteve com o grupo uma ou duas vezes apenas. É mais ou menos como o Ganso e o Neymar. Não faz parte disso aí. A declaração do Luiz Fabiano ontem, ao saber da não convocação de Adriano, não me deixa sozinho nessa estranheza. Esta manchete do UOL, também não “Grafite vai à Copa com histórico de 79 minutos, um gol e uma assistência pela seleção”.
Se fosse o Tardelli e não Grafite, eu não estranharia tanto. Mas Dunga é muito incoerente em várias de suas convicções. Quatro delas, em especial, me deixam desanimado com essa seleção. Doni, ao invés de Vítor, Michel Bastos, ao invés de qualquer um, e Grafite. Adriano, em 30 dias de concentração com a seleção, vigiado pelos mastins da CBF e com um trabalho específico de treinamento físico e técnico, estaria na ponta dos cascos e manteria o espírito do grupo que Dunga tanto preza. E podendo ser decisivo, coisa que poucos desse grupo tem condição de atingir. Com toda a esbórnia, Adriano é o goleador com maior aproveitamento de gols no Brasil em 2010, ué! A quarta convicção de Dunga que me desanima é a pergunta de um milhão de dólares: Se Kaká machucar, quem vai criar nesse meio de campo? A resposta padrão do Dunga, que ganhamos sem Kaká uma Copa América, não me convence.

Mas vamos à LIBERTADORES, que a Copa é secundária para quem é Flamengo!

Anúncios

Sobre flamengonet

jornalista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: