Deixe um comentário

Calúnia do Rúbio Negrão

Sejemos cinseros: apesar de eu não torcer pelo Vasco, até em razão da minha formação moral, posso compreender perfeitamente a encruzilhada em que os vascaínos se encontram. Se forem campeões da Copa do Brasil, terão uma trégua nas zoações até março do ano que vem, uma vez que não há a menor possibilidade de que conquistem o vice do Brasileiro.

Mas… e se confirmarem o vice da Copa do Brasil pouco mais de 30 dias após terem sido vices do Flamengo na Taça Rio? (Particularmente, acho uma temeridade a CBF permitir que o Vasco dispute outra final tão próxima ao fiasco anterior.)

Tudo isso porque a Copa do Brasil reserva muitas surpresas ao torcedor e aos próprios clubes que a disputam. Daí que, a exemplo do Santo André, Paulista, Vitória, Sport e outros ainda menos votados, o Vasco conseguiu chegar à final. E em vista desse fato absolutamente constrangedor, fica o vascaíno diante do difícil dilema “viro ou não viro a casaca?”, que é exatamente do que trata o famoso grito de guerra da turma da fuzarca.

A minha posição oficial é a seguinte: jamais zoar um cruzmaltino que tenha mudado de time ou de opção sexual, porque há um limite de humilhações a que um torcedor aguenta ser submetido. Nós, flamenguistas, devemos sempre nos lembrar de que, para os torcedores cooirmãos, o futebol é apenas e tão somente um lazer de fim ou meio de semana. E não é justo passar tanto perrengue nas horas vagas.
Agora, a minha posição oficiosa: quero mais é que se danem todos eles!

Porque um torcedor que tenha optado pelo Botafogo, por exemplo, pode perfeitamente passar despercebido a vida inteira, em virtude da inocuidade do seu time. Não ganha nada, mas pelo menos não tenta. Há uma certa nobreza nisso.

Mas falando de lazer, daqui a pouco todos secaremos ou, no caso dos mais puristas, ignoraremos o Asco Cagama, que jogará apenas para cumprir tabela, visto já ter o vice-campeonato merecidamente assegurado por antecipação.

Azar o deles.


Duplex Toc Zen

1 – O efeito Willians: Depois da cotovelada do Willians no Negueba, a CBF estuda implantar após as partidas, além do antidoping, um exame antibullying.

2 – Exercício de passadologia: Ah, se o Jean tivesse se aposentado há uns dois anos… Ah, se o Fernando fosse o cara bom de bola da família… Ah, se o Luxa não fosse empresário…

3 – Na mesma: Do jeito que o Egídio anda jogando, se o Luxa colocar o Júnior César no time vai ser como trocar meia seis por meia dúzia. (Tô envergonhado dessa, mas eu TINHA que fazer…)

4 – Humildade: O Luxa assumiu o erro de ter mandado Fernando e Jean a campo contra o Bahia, e admitiu: “Eu estava com a cabeça no Cartola FC.”

5 – Conselho de inimigo: Como a coisa não anda nada boa pro Jean no Flamengo, sugiro que ele peça ao seu empresário para encaixá-lo no Real Madrid, Manchester ou Barcelona.

6 – TN7 de fora contra o Corinthians: Que o querido Carioca me perdoe, mas não tô nem aí pra seleção! Futebol, pra mim, é um troço praticado somente pelo Mengão. O resto é tudo cooadjuvante. Se faltasse o Flamengo no mundo, agora eu estaria escrevendo para um blog de jardinagem.

7 – Viceados: Se o Vasco faturar este bivice em pouco mais de um mês, periga parar todo mundo numa clínica de reabilitação.


8 – Twitter cassetadas da semana:

“Pimenta Neves chega ao presídio de Nardoni.” Consta que o jornalista pediu uma cela SEM JANELAS.

No “Caso Seedorf”, o Corinthians ficou a “Seenavios”.

“Su Richthofen, Nardonis e Maníaco do Parque com Pimenta Neves na prisão.” Neves não vai poder ficar na janela, dormir nem tomar banho nu.

O Ceará faz tanta cera que os seus 15 minutos da fama não passaram de uns 6 ou 7 minutinhos de bola corrida.

Pra alguns jogadores, treino é treino, e jogo é jogo. Pro Willians, treino é jogo, e jogo é folga.

Bomba! O Vasco jogará as 2 finais contra o Coritiba com o time reserva para focar 100% no Brasileirão, onde o vice ainda não está garantido.

Pet e Maradona fizeram gols decisivos com as mãos. Mas o do Pet contra o Vasco foi muito mais bonito.

O Vasco também deveria homenagear o Pet, porque o vice mais bonito que tem foi ele quem proporcionou.

Ironia do destino: se o craque Pet fosse brasileiro ele teria jogado a maior parte da carreira na Europa.

A imensa torcida flamenguista baiana desistiu de ir receber o time no aeroporto quando soube que o Luxa não tolera acotovelamento.

Se algum dia alguém me oferecer um emprego, torço para que não fale em salário, que é pra não influenciar a minha resposta.

Graças à cotovelada providencial do Willians, o Negueba irá para o jogo de hoje com sangue nos olhos.

Jóbson já estava encarando a droga de zaga do Flamengo. Ao pôr Fernando e Jean em campo, o Luxa planejava provocar uma overdose no rapaz.

Deve ser horrível ser vascaíno: viver torcendo pro seu time nunca chegar a uma final…

Não sou gay, mas não tenho nada contra quem não é.

E nada mais faço quando estou acordado: fico no Twitter.
Anúncios

Sobre flamengonet

jornalista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: