Deixe um comentário

Calúnia do Rúbio Negrão


O que estava faltando pro hepta flamenguista? A torcida carregar os jogadores no colo, a exemplo do que fez em 2009, com direito a mosaico, novo grito de guerra, presença maciça nos estádios, e gritos de “Oooolé! Oooolé!” mesmo quando o time estiver perdendo.

Porém, o panorama de 2011 é bem diferente daquele de 2009. Primeiramente, não temos mais o Maracanã, que infunde terror aos nossos rivais, até mesmo aos rivais cariocas. Vascodagamamente, nos falta também o Pet. Ou um R11 com “a ímpeta” do Pet. Ah, mas temos o “em terceiro lugar” de sobra: a torcida, agora alucinada após o massacre quase covarde ao combalido Cruzeiro!

Sejemos cinseros: a vitória máscula e maiúscula sobre o time mineiro nos deu bem mais que os 3 pontos regimentais, e os 3% de chances de título. Nos deu de volta a torcida, aquele gigante adormecido que precisava ser despertado pelos dorminhocos que atualmente envergam o sacro manto. Porque contar com a maior torcida do país, quiçá do mundo, é muito bom pra zoar os arcoirenses, mas só faz a diferença se ela for devidamente estimulada.

E, após o fiasco contra o Grêmio, aconteceu que ela decidiu dar uma última oportunidade ao nosso elenco. Resolveu pagar pra ver no que iria dar pegar no colo o bebê turrão e malcriado. Será que ganharia um adorável sorriso infantil, com direito a covinhas nas bochechas rosadas? Ou acabaria mesmo com o fedor de fraldas sujas, ainda com a posterior obrigação de trocá-las e lavá-las?

O que ganhou, felizmente, foi uma tarde antológica no Engenhão, digna dos velhos tempos quando 1×0 e 2×1 eram resultados mais vergonhosos do que um empate por 3×3. O cinco contra um de domingo levou muitos torcedores ao clímax. Sei de gente, inclusive, que ficou gozando a vitória a noite inteira.

Com toda a razão, diga-se de passagem. Cenão vejemos: despachamos os asas-negras Montillo e Vágner Mancini de uma só tacada, colocamos o Engenhão na mídia, encurtamos a distância para os líderes provisórios do certame, nos regalamos e arregalamos com as promessas cumpridas Thomás e Muralha, que arredondaram o time, e, ainda melhor, na presença do Luxa, que depois não poderá alegar que não sabia de nada!

Falando nele, espero que o nosso prestigioso professor tenha revisto as suas metas. Porque se o treinador do Flamengo almeja apenas a participação numa Libertadores, o que o treinador, por exemplo, de um Botafogo, pode querer da vida? Acordar no dia seguinte?
A grande realidade, amigos, é que, agora, o hepta agora só depende de nós.

E dos outros.


Duplex Toc Zen

1 – Reta final renhida: Os líderes do Brasileirão possuem uma admirável coleção de títulos. Basta dizer que dos cinco, somente Flamengo e Botafogo não foram campeões da Série B.

2 – Corinthians e Vasco: Não dá pra entender como esses dois líderes ainda não conseguiram faturar o título mais fácil da história dos Brasileiros por pontos corridos! Acho que estamos diante do primeiro gambá e bacalhau que não fedem nem cheiram!

3 – Fluminense: Logo atrás, ocupando o terceiro lugar, o Tricolor da Série C, aliás, das Laranjeiras, é o time que mais me preocupa. Isso porque, caso tudo dê errado, ele ainda pode usar a sua arma secreta para atingir magicamente o topo. Trata-se de um ritual fantástico, tipo uma simpatia: o presidente do Clube estoura uma garrafa de champanhe, e faz um brinde ao Eurico Miranda.

4 – Botafogo: Apesar de estar na quarta colocação, a apenas 3 pontos da primeira, temos a nítida impressão de que o Glorioso ainda se pergunta: “O que é que eu faço agora?”

5 – Flamengo: Ah, e o Flamengo é Flamengo.

6 – 2011 inesperado: Quem diria que este ano os cavalos paraguaios iriam tão longe?

7 – Thomás e Muralha: Jogaram como veteranos, só que magros, com fôlego e um salário justo.

8 – A hora da verdade: Será que o Luxemburgo, cinco vezes campeão brasileiro, ex-treinador da Seleção e do Real Madrid, um homem que já apertou até a mão do Lula, vai ter a coragem de barrar o R11?

9 – Aliás: Eu me lembro do título brasileiro de 1983, quando o Capita acertou o time, já na reta final, com os garotos Élder e Júlio Cesar. Viu, Luxa? Você também pode fazer história.

100% – Quem pode mais: O Flamengo com 3%, ou o Corinthians, com 41? Só sei que a única lógica do Futebol é “Only the Strong survive”.

11 – E, a propósito, Luxa: Libertadores não é causa, é consequência.

12 – 1987 reloaded: Se o Flamengo vencer este disputadíssimo Cariocão 2011, aposto que a CBF vai dar um jeito de não reconhecê-lo como campeão brasileiro.

13 – Constatação: O Ronaldo Fenômeno teria sido um jogador completo se cabeceasse como o Deivid.

14 – Deivid: Algo me diz que ainda vai ultrapassar o Borges.

15 – “Boa noite pra quem fica, vou assistir o episódio novo de Hawaii Five-0.” – Lu Mattos: O quê? Avaí 5-0? Quando? Onde? Em quem?

16 – Kléber no Grêmio, e Willians no Internacional: É o Rio Grande do Sul reforçando suas ludus.

17 – Peraí! Willians ao lado do Guiñazu?: Nos jogos do Internacional, vai ficar difícil distinguir o sangue da camisa. (Aliás, agora entendo a razão da camisa do Inter ser vermelha.) 

18 – “Ronaldinho não recebe parte dos salários há dois meses”Tô melhor que ele. Eu não recebo integral.

19 – “O Fla tem quatro torcedores a mais do que o Corinthians” – Andrés Sanchez: Quatro o quê? Milhões?


20 – Twitter Cassetadas da semana (em tempo real só em @rubionegrao):

R10 expulso. R10 advertido com o amarelo, R10 julgado pelo STJD… o R10 só serve mesmo pra limpar a barra da seleção, né CBF?

O máximo de elite que eu sou é torcer pra um time da Série A.

“Vice-campeã mundial, Holanda pede Rio de Janeiro como base em 2014.” Vai treinar em São Januário.

Feriado é o único dia em que o vagabundo não se sente superior aos outros.

O Rivotril devia ser proibido para fins recreativos, exceto para uso em finais de basquete.

Feriado é aquele dia em que o vagabundo não trabalha oficialmente.

Ser vagabundo é uma ótima ocupação. A única desvantagem é que estou ganhando a mesma coisa há 30 anos.

Zoar vascaíno está ficando cada vez mais difícil porque estamos começando a pecar pela originalidade.

Pra quem tava esperando um 1×0, o jogo contra o Cruzeiro chegou a ser chato.

Mengão rumo ao octa!

O Willians vai mesmo pro Internacional? Ué, eu não sabia que ele era argentino!

E nada mais faço.
Anúncios

Sobre flamengonet

jornalista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: