Deixe um comentário

Calúnia do Rúbio Negrão

“Futebol é sorte” – Cacau Cotta.

“Futebol é resultado.” – Renato Abreu.

Sejemos cinseros e analfabéticos: fiquei confuso. O resultado é fruto da sorte? Quais os riscos de se revelar a um elenco preguiçoso que o sucesso depende do acaso? Vagabundagem passou a ser sinônimo de azar? Minha perplexidade só aumenta. A situação só piora.

É nisso que dá um clube popular ser gerido e defendido por profissionais que estão adiante do seu tempo, por gente preparada e do mais alto nível intelectual, que nitidamente padece de tédio mortal ao ter que descer do seu pedestal para perder seu valioso tempo de PlayStation a fim explicar o bê-á-bá do futebol a uma nação de parvos, incapaz de compreender os meandros do esporte a que devota todo o seu tempo e dinheiro livres. Ufa. Talvez por essa razão, Jô Soares e Pedro Bial eternamente se resguardarão de gerir o Fluminense, e mais ainda de jogar por ele (creio que isso de jogar por ele já estava subentendido).

Cenão vejemos e erremos: confesso que cresci sob a máxima do “Futebol é uma caixinha de surpresas”. Ponto. Isso me bastava. Isso me norteava, e até me confortava ante fracassos surpreendentes e inexplicáveis. Eu podia viver com isso, porque compreendia o conceito, que, apesar de aparentemente místico, era bastante simples: um time pode fazer tudo certo, contratar certo, pagar os salários certo, treinar certo, administrar certo, cobrar dos jogadores certo, e jogar certo, e mesmo assim perder por 1 a 0 para o Serrano, com direito a gol de Anapolina. Bons tempos, caramba! Eu podia viver com aquilo! Eu era capaz de entender que o Flamengo controlava o adversário dentro do campo, mas não a chuva e a neblina fora dele.

Agora, o que eu jamais imaginei foi uma época em que expoentes do pensamento esportivo ocidental ousassem desafiar a ilógica lógica vigente ao definir o que há dentro da tal “caixinha de surpresas”! E percebam que já testemunhei outras tentativas fracassadas de revoluções filosóficas, como aquelas do “O gol é um detalhe”, “Clássico é clássico e vice-versa” e “A falha individual é do coletivo”!

Meus leais detratores: assim como “a beleza está nos olhos de quem vê”, a bobagem também está nos ouvidos de quem escuta. É muito fácil ocultar lambanças homéricas por trás de frases de efeito, mas não é decente nem honesto, mesmo que ninguém mais acredite em contos de fadas. Se a coisa fosse socialmente aceitável, eu mesmo, por exemplo, justificaria o meu fracasso como ser humano com um “Eu podia estar roubando, matando ou ‘estrupando’, mas tô aqui escrevendo”. E, vocês estão de prova, não costumo fazer isso com frequência.

Claro, sei perfeitamente que não posso cobrar de simples mortais a minha baixíssima autoestima. Nem todos conseguem dizer “Errei”, “Fiz bosta”, “Pode botar na minha conta” ou “Agora tô phodido”. Peço apenas que os autodeclarados porta-vozes do Flamengo respeitem a inteligência dos que ainda a possuem e preservam.

Obviamente, escrevo tudo isso deixando claro que não sou o dono da verdade. Só detenho a franquia em todo o território nacional até 2065.


Duplex Toc Zen

1 – “Zinho justifica saída de Joel: ‘Foi conjunto da obra’”: E como obrou!

2 – Não considero os 2 milhões que o Flamengo pagará ao Joel uma rescisão: Considero um resgate.

3 – Visionários: Karl Rappan criou a posição de líbero. Zagallo, a de número 1. E Joel, a de xodó.

4 – Fato: Em time que demite Joel, até interino é upgrade.

5 – Na boa, acho o Joel um dos melhores treinadores do mundo: E o prato mais saboroso pra mim é excréments de porc au urine aigre-doux.

6 – Bobeou: O erro do Joel foi tentar ser mais folclórico do que os nossos gestores.

7 – Evolução: Antigamente, o Joel só era bom em tirar times do Z4. Atualmente, ficou excelente também em colocá-los.

8 – Resumo da ópera-bufa: O Zinho continua assoberbado, e o Joel, “assobêrbado”.

9 – Os 800 mil que o Dorival quer não são de salário: São de taxa de urgência. 

Sub-36 – Vocês não queriam renovação?: Só em cogitar Owen, Beckham e Del Piero, o Flamengo já deu uma boa rejuvenescida no elenco.

11 – Riquelme e Felipe são a prova definitiva de que nossos gestores não sabem o que é Flamengo: Só porque nosso mascote é um urubu não significa que vivemos de carniça.

12 – O Cáceres ainda não estreou?: Vai ver ele veio pra vaga do Alvim.

13 – Entendendo o futebol: Os portugueses só querem o Negueba porque já aprenderam que tudo o que se vê nos DVDs dos jogadores é mentira.

14 – Aliás, pra ser tornar um excelente jogador, o Negueba só precisa melhorar em duas coisas: Ganhar corpo, e aprender a jogar bola.

15 – Se o Neymar era “filé de borboleta”, o que será o Negueba?: “Alcatra de bicho-pau”?

16 – Bomba! Bomba!: Os portugueses só querem contratar o Negueba pra finalmente conseguir contar piada de brasileiro.

17 – Esta eu recebi do valoroso Fabiano Claudir (http://www.facebook.com/FabianoClaudir): Sabem porque o Renato Abreu é o único jogador do elenco do Flamengo que recebe o salário em dinheiro vivo? Pra não ter que ir pro banco.


18 – Twitter Cassetadas da semana (em tempo real só em @rubionegrao):

Aí o espertão grita no meio da aula: “Vou dar uma kgada!” E o professor responde: “Vai, garoto! Mostra pra todo mundo do que você é feito!”

O problema dos nossos gestores é não entenderem que o conceito “Flamengo” transcende o de “clube social na Borges de Medeiros”.

Nossos gestores são tão incompetentes, mas tão incompetentes, que não terão êxito nos seus planos de fazer o Flamengo cair pra Série B.

O Riquelme não quis vir porque ficou com medo de acabar amigo do Bottinelli.

3×0 Cuzintia faltando 2 minutos pra acabar o jogo, e o Tite na beira do campo, desesperado, gritando instruções pro time… ADORA UMA MÍDIA.

Cair, acho que não cairemos, porque no Brão há times MEDONHOS DE RUINS, piores que o nosso. O que prova que futebol é sorte.

Código de Defesa do Torcedor: se eu me comprometer a assistir aos jogos do Fla de costas pro campo vou precisar pagar o ingresso ao estádio?

Vasco e galo líderes… Acho que o fim do mundo de que falavam era no sentido figurado.

O esquema do Joel é muito previsível. O técnico adversário já sabe até qual cerveja ele vai tomar depois do jogo.

O Joel exerce sobre mim o mesmo efeito que a kryptonita exerce sobre o Superman.

A expressão “Futebol é sorte” foi a maneira mais delicada que um vice-presidente jamais inventou pra dizer que o seu presidente é pé-frio.

Acho que sou meio sensitivo: alguma coisa me dizia que este ano a gente não iria brigar pelo hepta…

Perder é do jogo. Perder sempre é do Joel.

“Mundo não vai acabar em 2012, afirma NASA.” Pô! Uns dizem que vai, outros dizem que não vai. Quem consegue se programar assim?

E agora o Joel vai passar as férias em casa mesmo…

Joel, gostaria de agradecer por tudo que fez pelo Flamengo: obri.

Afinal: o Negueba será vendido ou deportado?

Não recomendo que Joel e Negueba saiam na mesma barca. O perigo de afundar é muito grande.

Caramba… Afinal, quem vai vir? O Owen ou o neto dele?

Se a dupla de ataque Love e Adriano voltar à ativa, não será mais o “Império do Amor”, e sim “Love e Engov”.

“Troca de técnico pode representar nova chance para Felipe e Welinton.” Como eu disse, só piora.

E aí? A Unimed já contratou o Dorival?

E nada mais faço. Porque quando o Jô Soares acorda tarde, é gênio, e eu, um reles vagabundo, né?
Anúncios

Sobre flamengonet

jornalista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: