Deixe um comentário

Calúnia do Rúbio Negrão

Sejemos cinseros e analfabéticos: eu sou um perdedor. Não é pra me gabar, não, mas em inglês até fica bonito: i am a loser.

E caso vocês, queridos e sempre leais detratores, chegarem a pensar que ser um perdedor é algo melancólico, me verei obrigado a lembrá-los de que me encontro em excelente e competente companhia: Rubinho, Cuca e Massa, só para citar alguns de meus ilustres párias, digo, pares, são profissionais reconhecidamente competentes. Só que, sabe-se lá por quais cargas d’água, simplesmente não conseguem alcançar o tão merecido ápice da glória.

E vejam que esse troço de vencedores e perdedores é algo cíclico. Houve, por exemplo, quem já foi digno de busto, e que hoje não vale nem bosta. 

Ou seja: quando saio do armário para assumir a minha condição de loser, mesmo ciente de toda a discriminação que doravante enfrentarei, não o faço em tom de lamúria. Foi-se o tempo em que “perdedor” era sinônimo de “fracassado”. Atualmente, no século XXI, um perdedor competente pode desfrutar do bom e do melhor, da fama e da riqueza, do charme e da aura de medalhão e topo de linha.

Não é o meu caso, obviamente, posto que sou um perdedor durango e irremediavelmente malfadado, um cara que permaneceria no ostracismo mesmo se tivesse o dom de transformar areia em diamantes. Mesmo assim, não se apiedem de mim, porque os anos me ensinaram a usar o fato de ser um loser a meu favor. Ora, não ter rigorosamente nada a perder provoca uma reconfortante sensação de segurança e estabilidade, sem falar que nenhuma instituição de caridade me telefona pra pedir dinheiro.

De fato, e isto é uma confissão, a única vergonha que tenho da minha condição de loser é não conseguir ganhar as 500 millhas que o Deivid fatura. (Ou devia faturar. Ou seus advogados o farão faturar quando deixar o Flamengo.)

Bem, amigos! Tantas divagações inúteis (e nem precisei convidar um grupo musical) serviram apenas para introduzir a história de um vencedor que optou por ser loser, algo realmente raro na história da humanidade, pelo menos nos últimos três ou quatro meses. Vamos chamá-lo de R171. Um cara simpático e muito, mas muito mais bonito que o Ribéry,  que foi jogar no Flamengo após temporadas badaladas e vitoriosas em Paris, Barcelona e Milão.

Esse rapaz simples e de hábitos frugais, então, viu-se subitamente seduzido e corrompido pela cidade do Rio de Janeiro. Totalmente deslumbrado com novidades que jamais vira no Velho Continente, como casas noturnas, bebidas e mulher, deixou-se cair na gandaia, esquecendo-se completamente de que as suas férias anuais só duravam oito parcos meses.

Obviamente, para completa surpresa dos contratantes rubro-negros, seu desempenho profissional decaiu bastante, por muito pouco não ultrapassando sua decadência pessoal. Em resumo, o ex-craque estava rapidamente se tornando um ex-jogador, um loser, e o que é pior, levando consigo, em sua jornada rumo à autodestruição, quase 35 milhões de vítimas inocentes.

Ah, mas eis que seu zeloso irmão, unicamente interessado no bem-estar do caçula, raptou-o para Belo Horizonte, uma aprazível e pacata cidade onde o ex-craque poderia voltar a ostentar ao menos o título de jogador de futebol ou, no pior dos cenários, levar bem menos gente ao suicídio.

Aí, para a alegria dos que gostam de um final feliz, de uma autêntica soap opera tupiniquim, o plano deu certo: hoje, R171 continua jogando o mesmo futebol de quinta categoria que jogava no Rio de Janeiro, mas, em compensação, parou de beber, de frequentar a noite, de chegar inebriado a treinos e jogos e de organizar intermináveis orgias.

Bem, assim acho eu. Pelo menos o GE nunca mais tocou no assunto.


Duplex Toc Zen

1 – Graças ao Joel, o Dorival pegou um Flamengo no mesmo nível que os times europeus: Vai começar a pré-temporada em agosto.

2 – Otimismo x pessimismo: Dorival assumiu o time com 6 meses de antecedência ou de atraso?

3 – Vai ter que dar certo com o Dorival mesmo: Porque agora não sobrou nem Joel pra livrar o time da Série B.

4 – “Que ou quem, ostentando qualidades que não possui, procura auferir prestígio e lucros pela exploração da credulidade alheia” – Definição do vocábulo “charlatão” no Houaiss: Daí que tem treinador que devia devolver toda a grana que faturou no Flamengo.

5 – Magoaram: E os bambis frustradíssimos por não terem conseguido fazer um 5 a 1 na gente.

6 – “Tem que ter hombridade” – Dorival Júnior: Deselegante dizer isso logo após uma derrota pro São Paulo.

7 – Aliás, descobri que o José Simão é são-paulino: Como não desconfiei disso antes?

8 – Redundância: Jogar contra o São Paulo num momento delicado

9 – Como neste momento delicado precisamos de atitude, sugiro banir duas palavras do nosso vocabulário: “Rebaixamento” e “Ibson”.

49 – Adryan, Thomas, Luiz Antônio e Mattheus enfrentam o mesmo problema que Ronaldinho enfrentou: Jogar num time dejasustado. Vergonha nenhuma, porque ainda são garotos inexperientes. #VenenoEscorrendoDaBoca

11 – Contra o Atlético-MG, Ronaldinho sofrerá marcação cerrada: Com um no homem a homem, um na sobra, e pelo menos 10 mil no “É punheteiro!, É punheteiro!”.

12 – Espero que os atletas rubro-negros das olimpíadas levem muito ouro e prata: Porque os daqui só estão levando ferro.

13 – E que os Estados Unidos não se assanhem nesses jogos olímpicos: Eles jamais vão superar o Vasco em medalhas de prata.

14 – O time do Flamengo, didaticamente falando: Uma turminha muito travessa, que vive trepando em tudo quanto é lugar. Depois, caem de quatro, e nem um pontinho levam.

15 – E por falar em olimpíadas: Já não confio na prata da casa rubro-negra. Acho que vai ser bronze mesmo.

16 – No Flamengo atual a palavra de ordem é: “Desordem.”

17 – Pergunta que não quer calar: Por que o Flamengo não investe mais no seu futebol, já que este também virou um esporte amador?

18 – O time do coração tá na podre quando…: Não dá nem ânimo de criticar o juizinho mal-intencionado.


19 – Twitter Cassetadas da semana (em tempo real só em @rubionegrao):

“Deivid torce tornozelo em buraco no campo do CT, e fica fora por 20 dias.” Viram? Não precisamos do Felipe Chinelinho.

Por favor, alguém me ilustre URGENTE: o Dorival Jr. não é parente do Caio Jr., certo?

Vou aproveitar a queda do Twitter para finalmente ir conhecer meu filho de 8 meses.

O SPFW tem 3 paus na defesa. Adogam.

Lamento informar que, no momento, o Welinton é nosso menor problema.

Justiça seja feita: o Dorival ainda não treinou o time, e nessa maratona, não vai treinar tão cedo.

E tem atleticano realmente achando que o Galo vai ser campeão brasileiro… Parece até que nunca acompanharam um Brasileirão…

“Dorival já comanda um treino nesta segunda-feira, às 15h, no Ninho do Urubu.” Acabou o amor, e a moleza, nem se fala.

“Esposa de Mentirinha” é um filme nota 8,5. Numa escala de 1 a 100.

Hoje é o Dia do Orgasmo em que categoria: com o nosso ou com o dos outros?

E o Cuca nada, nada, nada, e morre na praia.
Anúncios

Sobre flamengonet

jornalista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: