13 Comentários

Fundamento é fundamental

Volta e meia, no meio de discussões e conversas com amigos, me aparece o conceito de estudar os fundamentos. Algo como voltar às raízes, lembrar como se faz no manual e então, tentar o caminho correto.

Eu sou de um tempo interessante. Tempo em que os jogadores treinavam uma coisa chamada Fundamento. Um dos treinamentos mais famosos era o da troca de passe. Metade do time ficava numa lateral, a outra metade na outra lateral. E o objetivo era simples: botar a bola, ipsis litteris, no pé do jogador do outro lado. Me lembro de ficar impressionado não somente com os passes certos – em sua maioria – como também com a forma como os jogadores recebiam o passe.

Então, após os treinos táticos e coletivos, uma parte dos jogadores ainda ficava treinando finalização, faltas, etc.

Já em 2013…

A filosofia de Romário “treinar pra que se eu já sei o que fazer” é lugar comum nos clubes, especialmente no Flamengo. A diferença única é que Romário era craque, era diferenciado. A bola vinha quadrada, e ele endireitava tudo. Ao contrário de vosotros.

Há uma arrogância clássica nos jogadores do Flamengo. Ninguém quer tático, ninguém quer treinar fundamento. Agora, o rachão, que motiva gozações e gargalhadas, é obrigatório. Afinal de contas, alguém tem que jantar de graça no fim de ano.

Qualquer time com um mínimo de aplicação tática tratará o Flamengo como mulher de malandro. E a questão é simples: se você tem um elenco limitado, é obrigação treinar passes de 2, de 3, de 4 metros. Aprender a fazer a bola girar. Depois disso, naturalmente, treinar finalização. De canela, de bico, de ombro. Mas treinar finalização. Aposto meia dúzia de reais como um time com essas 2 matérias em dia consegue ter melhores resultados.

O time do Flamengo não tem qualquer posicionamento tático definido. Pera, pera, tem um sim: o time tem 2 donos, que são 2 primadonas do elenco, que não podem ser substituídos, tampouco vaiados. E que NUNCA são os responsáveis pelas derrotas.

Nós, que gastamos dinheiro comprando ppv, outros viajando, perdendo dias de trabalhos, esses são – ou somos – culpados. É o que leio nas linhas, entrelinhas e diretas do jogador Renato, quando diz “essa é a torcida do Flamengo”.

Eu gostaria muito de ver um time que trocasse mais de 20 passes certos, sem irritar a torcida. E, claro, passes com objetividade. Sem a habitual lentidão do nosso meio. Sem ter que, TODA BOLA, passar pelo pé do dono do time.

O futebol do Flamengo se resolve dentro de campo. E, nos vestiários, é dever da diretoria de blindar o elenco de mandos e desmandos de um a 2 jogadores. Eles não mandam no clube, não mandam no time, e não me representam.

Fora Renato, Fora Léo Moura. Se a diretoria realmente quer limpar a casa, tem que pensar como empresários, e não com o coração de “ah, eles tem história, devem ser respeitados”.

Queremos comprometimento. Queremos o porco, não a galinha botando seus ovos.

Queremos seriedade, queremos o Flamengo grande, e fora das mãos destes jogadores.

O Flamengo é maior do que vocês, simples assim.

E Renato, EU SOU TORCEDOR DO FLAMENGO DE VERDADE. Não me venha com essas teoriazinhas separatistas, pois aqui não é um time qualquer, não é uma torcida qualquer.

E nada mais digo.

Anúncios

Sobre Alex do Triplex

Rubro-negro, pai da Alice e casado com a Mari. Filho de Ogum com a Oxum. Ácido, mas tento ser justo. E nada mais digo.

13 comentários em “Fundamento é fundamental

  1. Falou tudo e mais um pouco. Concordo totalmente com o que foi escrito.

  2. Achei excelente a parte sobre não treinar fundamentos e ficar fazendo rachão. Mas não vejo o Leo Moura e o Renato como maiores culpados não. Respeito sua opinião, mas não concordo com isso. Não defendo eles, mas também não os uso como bode expiatório

  3. Concordo com quase tudo, exceto pelo texto “Sem a habitual lentidão do nosso meio”. Simplesmente por não termos um meio, e sim um buraco, onde nenhum jogador quer jogar. Todos se escondem ou nas laterais do campo ou atrás dos marcadores.

    A atuação do Léo Moura e do Renato ontem foi coisa digna de pelada de bêbado. Vendo o jogo pela TV não percebemos, pois a TV só mostra onde a Bola está. Ontem ao vivo pude perceber, o Renato andou o Jogo todo e o Léo Moura subindo menos que upload da OI. Até o Elias brigando pra ele subir e nada…

  4. um dia eles saem do time. Mas se sairem agora, quem assume?

  5. Perdão pela pergunta jmario81, mas assumir exatamente o quê?

    Esses caras não são e nunca foram líderes positivos. Em especial Renato Abreu, cujo histórico de indisciplinas e palhaçadinhas dentro do clube já ultrapassa em muito a ficha de Adriano, só que sem nunca ter jogado um por cento do que ele jogava.

    Assumir esse papel ridículo que eles protagonizam dentro do time hoje, prefiro que NINGUÉM faça.

    SRN

    • Ale, quanto a qualidade de lideres dos 2 é discutivel, até ai blz, não são meus exemplos de liderança, mas eles tem muito a perder com o Flamengo na segundona. Enquanto os outros estão se lixando.

  6. Só um comentário sobre o excelente post.

    Concordo com tudo que foi escrito, mas acrescento uma ressalva:
    Não se aprende fundamento depois de velho. Pode-se aperfeiçoar, mas APRENDER não.

    Há anos venho me assustando com a incapacidade da molecada da base que sobe para o profissional de dominar, passar, jogar de cabeça em pé e, principalmente, CHUTAR A GOL.

    Parece que só treinam na base marcação, correria e pegada.
    E isso é no Brasil todo, no Flamengo tem sido mais visível.

    Tem que ver o que estão fazendo com a criançada lá na origem, nos doze, treze anos. Se estão desenvolvendo a habilidade nos moleques ou se os estão botando pra correr, pular cone e aprendendo a “pegada”, que os treinadores da base tanto cobram naqueles jogos de correria desenfreada deles.

    Tá feia a coisa, por isso nossos moleques não vingam. Até correm e driblam, mas sempre de cabeça baixa. E, na hora do último passe ou da conclusão, aí é que a chapa esquenta mesmo. É quando ficam claras as deficiências na FORMAÇÂO do jogador.

    Isso é um mal do futebol brasileiro. Mas que se dane, somos FLAMENGO, e esse espaço é provido de inteligência e racionalidade suficientes para que possamos entender que a torcida também precisa cobrar isso da nova diretoria.

    Senão ficaremos o resto da vida reféns de caríssimos Carlos Eduardos da vida, para tentar encontrar fora o que o Adryan, o Rodolfo ou o Thomás poderiam estar nos provendo.

    Quem manda na base do Flamengo. Por que está essa porcaria? Qual o projeto da nova administração para mudar esse cenário? Poderíamos perguntar isso, entrevistar quem de direito para dar essa resposta e postarmos no blog.

    Que tal a ideia?

    SRN

    • se o jogador chega no profissional sem fundamento é melhor nem subir.

      treino é pra pegar entrosamento, esquema tatico, ensaiar jogadas, chutes a gol.

  7. Passei pra dar um alô e dizer que jamais esqueci onde tudo começou.

    Concordo Triplex, esses dois citados são uma doença para o elenco, espero que a nova diretoria esteja atenta a estes fatos e que esse seja o último ano da dupla zumbi.

  8. Alex, Alex… Concordo com tudo que vc disse, e fico p da vida quando defendem os 2 resíduos cancerígenos citados no texto. Assistindo ao jogo pelo sportv, fiquei tão desesperado com esses felas que comecei a pedir a entrada do Roger Flores (comentarista) que mesmo estando sem jogar tem o QI maior que todo o time titular do FLA + o Jorginho. (ô time pra ter retardado – não falta treinamento nestes jogadores, o que falta e o diabo da inteligência…é só perguntar a algum deles, se eles sabem o que é ponto futuro.)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: