5 Comentários

Não usar o Santo Manto em vão

Antes que me perguntem, é claro que eu gostei de vitória de ontem. Serviu pra abafar o mimimi de muitos torcedores – e eu me incluo nessa – e, claro, pra calar a boca do pessoalzinho de ArcoIrizópolis, que vive para sofrer com o Flamengo.

O questionamento que faço é simples: até que ponto separamos uma má fase de uma ação combinada?

Senão, vejamos: Fizemos 5 jogos no Brasileirão. Tirando um momento ou outro do jogo contra o Santos, tudo foi muito ruim. Um time sem vontade, com jogadores desordenados, correndo errado, e um grau de irritação extremo na Magnética.

Então, Jorginho foi demitido após uma bizarra derrota para o Náutico. E de repente, não mais que de repente, o time vem com brios, sangue nos olhos, e derrota o todo poderoso (sic) Criciúma em seus domínios, até então com um tal de 100% de aproveitamento.

Eu vi fragmentos do jogo. E vi várias chances perdidas, 3 gols, e um time aparentemente seguro. Como muda tudo tão rápido? Magic? Ilumination?

Não vou desenhar, pois o desenho será definitivo: vocês se imaginam recebendo um telefonema do dono da empresa e, no momento seguinte, as perguntas “Fulano, posso contratar o gerente Zé das Couves? Vocês gostam dele? Se eu contratar, vocês prometem não boicotar o cara?”

Oras, por mais que esse modus operandis seja natural no meio do futebol, é algo que não pode e não deve acontecer. O jogador é empregado do clube, é pago pra treinar, jogar, concentrar e defender a honra de milhares de torcedores e, acima de tudo, desse clube que ele representa. Não está na CLT que o empregado possa escolher o seu chefe, tampouco de jogar de sacanagem pra derrubar aquele que não agrada.

Esse comportamento é pequeno, e notamos a eficiência dele quando um time joga de forma bizarra por quatro jogos, e de repente atropela um time jogando fora de casa.

É preciso que os jogadores respeitem o Manto, a casa que os paga e a torcida.  O Flamengo voltará a ser o Flamengo, voltará a ser grande quando o respeito partir de dentro pra fora. Não existe SE no futebol, mas eu sugiro um: Se tivéssemos jogado como ontem, estaríamos com apenas 5 pontos?

Não dá mais tempo de aturar essa atitude do elenco. São pagos, e MUITO BEM PAGOS, pra exercerem suas funções da melhor forma possível. E num campeonato nivelado por baixo (ou pelo menos sem favoritos extremos), não podemos ter o luxo de perder pontos por vaidade de um ou outro jogador.

Se dizem homens, com vergonha na cara? Então provem isso, e levem o Flamengo ao lugar que esperamos.

E nada mais digo.

Eu no twitter: @alextriplex

Anúncios

Sobre Alex do Triplex

Rubro-negro, pai da Alice e casado com a Mari. Filho de Ogum com a Oxum. Ácido, mas tento ser justo. E nada mais digo.

5 comentários em “Não usar o Santo Manto em vão

  1. Assisti ao jogo naquela de 50/50 — como a maioria da torcida — ou perdemos feio ou ganhamos.
    Fique com três impressões, a primeira, o grupo derrubou Jorginho; a segunda, quem quiser saber do time, fale com Elias e a terceira, jogadores nas posições certas rendem mais.
    O Flamengo se impôs jogando fora de casa e foi uma vitória para se valorizar muito além dos três pontos.

  2. Esse time, com essas lideranças, derrubando técnico é novidade pra quem?

    Mas confesso estar em dúvida quanto a isso. O início do jogo contra o Criciwoman foi como os últimos quatro, com o time jogando mal, errando passes de dois metros e acuado.

    Depois da expulsão é que tudo mudou. Um time fraquíssimo e muito candidato ao rebaixamento como o Cricúma jogando 75 minutos com um homem a menos, não tem condições mesmo.

    Nossos gols, à exceção do primeiro, foram meio “acidentais”, com falhas grotescas da zaga adversária.

    A melhora na atuação coletiva deve-se, claro, à melhora da escalação. Com dois meias armando o jogo, e não Renato Abreu. Isso era tão óbvio pra mim que nem precisa de mais justificativas para a demissão do Jorginho. A escalação que ele mandou a campo contra o Náutico e as substituições que ele durante o jogo, conseguindo a proeza de, no segundo tempo, estar com quatro volantes em campo e nenhum atacante, são auto-justificáveis.

    Mas não vi essa mudança tão clara assim que me fizesse ter essa certeza toda do boicote ao treinador, como eu tive, por exemplo, na época do Cuca.

    Se não vier o Mano, eu ia de Jaime mesmo. Está lá há muito tempo, mostrou que conhece as características dos jogadores, tem DNA flamengo – provou isso escalando um time ofensivo – e conhece a base melhor que qualquer um (vide Samir).

    E o melhor, baratinho…

    SRN

  3. Não vi fa de vontade do time… somente uma equipe bagunçada mesmo.
    Pequeno Jorge queria os jogadores fazendo o que ele queria, e não o que eles sabiam. Deu merda, claro.
    Ontem eu vi o Leo Moura matando ataques como em todos os outros jogos, alem de sua alergia a linha de fundo adversária, só pra exemplificar

  4. mano.

    futebol fraco, mais caro que o dorival.

    qual a lógica?

    6 meses 3 tecnicos. O futebol faz muia gente engolir oq fala.

  5. Essa eu vou lançar agora e não ouvi de ninguém!

    PETCKOVIC PARA TREINADOR!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: